Explorar com Tempo

Hoje li um artigo que tem mais de dois anos e com o qual me identifiquei bastante. Podia identificar-me com ele por fazer tudo o que nele aconselham mas não…identifico-me por saber o difícil que pode ser encontrarmos tempo de qualidade com os nossos filhos e por tantas vezes não o fazer.

E esta dificuldade não é porque não tenhamos tempo…os dias sempre tiveram 24 horas, é porque os vivemos num stress enorme e depois de meter a quinta não é fácil abrandar.

Assim sento-me muitas vezes ao lado do filho para brincar com ele tal como me está a pedir e ao fim de uns minutos está a dizer-me: “então? Não estás a brincar!” Pois não, estou só ali… a minha cabeça continua a pensar no email que ficou por enviar. Que bom que o filho tem a capacidade de reclamar e exigir aquilo a que tem direito!

Quando vamos explorar para a rua (para a floresta como diz o filho) torna-se mais fácil estar mesmo lá com ele. Pode não ser muito tempo mas se for de qualidade vale mais que muitas horas no sofá um ao lado do outro, um a ver TV e outra a trabalhar (ou não) através do telemóvel..o que também acontece!

Mas em casa também podemos explorar juntos quando brincamos aos espiões; basta desligar tudo o resto e concentrar-me em estar! Só isso! Já alguém por aí já descobriu o botão de desligar?

Pelo menos quando chega a hora de deitar há sempre tempo para uma história, sejam lá que horas forem ou quanto cansaço exista em cada um de nós a mesma é escolhida todas as noites pelo filho e sempre lida com tempo, nem o filho me permitia outra coisa. E sim, admito, já tentei adiar a história para o dia seguinte porque é muito tarde e estamos muito cansados (prometendo até contar mais depois), que bom que o filho não o permitiu. Hoje já nem tento e naquela hora encontro sempre o botão de desligar o resto do mundo e há tempo para nós.